Já tem um tempinho que eu acompanho o Instagram da Mattricaria. E a cada postagem, eu dou um suspiro. As fotos são lindas, cuidadosamente produzidas, iluminadas e o trabalho bem original. A Mattricaria é uma micro empresa que dá cursos e consultorias em tingimento natural de fios. Eles aplicam técnicas seculares de tingimento em tecidos, linhas e lãs em produtos modernos como colares, lenços e roupas.

À frente deste trabalho está uma jovem pra lá de criativa e estudiosa. Maibe Maroccolo passou a infância no Guará, arredores de Brasília (onde eu também cresci! Olha aí as coincidências lindas da vida), e desde menina já se divertia visitando o armarinho perto de casa para brincar de caixa. Seria a veia de empreendedora craft já dando seus primeiros sinais?

O mood board atual da Mattricaria. Tons de amarelo, rosa e cinza vem do eucalipto, do pinhão e da casca da cebola.

As experiências com corantes naturais surgiram em 2008, quando ela fez um mestrado em desenvolvimento sustentável na London College of Fashion. Naquela época, Maibe chegou a passar algumas semanas em uma imersão no interior de Minas para entender como mulheres de comunidades ribeirinhas da cidade de Uruana, às margens do Urucuia, usavam as plantas do cerrado para dar cor ao algodão.

Nesses 10 anos, o interesse pela moda mais responsável só cresceu e embalada nesse ritmo, Maibe foi desenhando novos caminhos para a própria carreira. O foco está sempre no natural e na produção em pequena escala_ mesmo que isso signifique dizer não para convites tentadores.

No início deste ano, a Mattricaria negou uma oferta feita por uma das maiores marcas de moda brasileira. “Eles queriam 5.500 peças em 45 dias. Isso me obrigaria e pressionar meus fornecedores e aumentar repentinamente minha produção, o que iria contra os princípios da minha empresa”. Ela lembra que slow fashion está enraizado até no nome. Mattricaria é o nome científico da camomila, erva conhecida por seus princípios calmantes.

E essa calma só traz boas energias. Se o contrato com a empresa brasileira que queria um pedido gigante não foi fechado, logo apareceu outro vindo da California_ mais alinhado aos ideais da Mattricaria. Outra parceria bacana foi o treinamento para a Casa Hermosa, empresa do Rio Grande do Sul que trabalha com o resgate da tradição de produzir lãs naturais aqui no Brasil. Maibe e a Hermosa criaram juntos uma coleção de fios 100% merino tingidos com casca de cebola, pinhão, eucalipto, carqueja, erva mate, o fio Entrelaço.

Na manhã que estive no ateliê, o chá servido era de hibisco com água de rosas. A música tocava bem baixinho e a luz entrava clareando tudo por um mini jardim. Um balanço trançado com técnicas de macramé dava o tom poético ao ambiente de trabalho.

É ali que Maibe faz suas magias têxteis. Em um cômodo anexo, também com abertura para este espaço, há uma cozinha com fogão industrial, panelas gigantescas para restaurante nenhum botar defeito e centenas de vidros identificados com tarjas: romã, catuaba, calendula, Jasmin, vinagre, amonia, cal hidratado, sal.Uma funcionária trabalhava atenta e, ao mesmo tempo, tranquila.

Batemos um longo papo e me despedi sonhando em voltar lá para também ter a chance de aprender a mexer aqueles ingredientes e colorir magicamente fios e tecidos como as mulheres faziam antigamente. Antes de sair, perguntei a Maibe se ela se considera bruxa ou fada, e ela prontamente respondeu: “somos todas bruxas”. Feliz dela que já descobriu o poder bom e artístico que tem de enfeitar o mundo com seu design.

A Mattricaria vende corantes naturais para que amadores (como eu!) se aventurem no tingimento de tecidos.

 

www.mattricaria.com.br